Coração Marinheiro

 Amitrano

Nada mais cruel que um homem dividido

Entre a mulher que ama e a que deve amar

É como um papel que vira um barquinho

E no meio do caminho

Começa a desmanchar

Meu coração marinheiro

Não enjoa de navegar

Valente e aventureiro

Explora os caminhos profundos do mar

Navega por lugares nunca vistos antes

Às vezes pelos mares de outros navegantes

Honrando a espada de um pirata amante

Que afoga suas mágoas em águas distantes

Guiando pelo céu parece estar perdido

Em mares revoltos vai, então, parar

Ancora num ilhéu cheio de ventania

Espera a calmaria e volta pro mar

Porque o meu coração marinheiro

Não enjoa de navegar

Valente e aventureiro

Explora os caminhos profundos do mar

 

OBRA REGISTRADA E TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

Clique e comente no final da página

Crioulo

Frederico Amitrano e Manolo Amitrano

Nasce no Rio de Janeiro

Um crioulo que vem de um vendaval

Em pleno fevereiro

Para alegrar o carnaval

Crioulo valente

Crioulo guerreiro

Crioulo com a gente

Em pleno fevereiro

O crioulo por ser pobre

Tornou- se nobre sem pedir socorro

Passou fome, passou frio

Mas o seu samba ainda está no morro

Um crioulo de verdade

Vive cheio de alegria

Quando chega lá no morro

Carnaval é todo dia

Crioulo é samba

Crioulo é bamba

Crioulo não pode

Viver sem o samba

Crioulo que veio de um vendaval

Crioulo o seu nome é carnaval

 

OBRA REGISTRADA E TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

Clique e comente no final da página

Falta Palavra

Tanta palavra

Tenta dizer

Tinta não falta pra colorir

Tonta, me disse olhando pra mim

Mas sempre falta palavra pro fim

 

Tonta, me disse olhando pra mim

Mas sempre falta palavra pro fim

Tanta palavra…

 

Obra registrada e todos os direitos reservados

Clique aqui e role até o final pra comentar